Sala de Imprensa

Chiara Mastrotto explica à Rádio 1 o curtimento e a região do Veneto

“Trabalhamos um produto natural. A nossa é a forma mais antiga de reciclagem, porque tratamos um resíduo da indústria da carne. Material que transformamos em um produto nobre para as grandes marcas nacionais e internacionais”.

Chiara Mastrotto explica à Rádio Rai 1 o curtimento e as peculiaridades da região do Veneto. Falando durante a Sportello Italia com Adriano Boller, presidente da seção de Curtimento da Confartigianato Vicenza, o gerente, presidente do Grupo Mastrotto, pôde ilustrar as perspectivas da indústria do couro.

Chiara Mastrotto explica

“Nossa região olha para o mercado europeu, Alemanha em primeiro lugar – estas são as palavras de Mastrotto – Mas também exporta para os Estados Unidos e Ásia, onde estão localizados mercados emergentes e grandes fabricantes.” Para o couro italiano, o mercado interno é igualmente importante: “No território há as grandes excelências do Made in Italy – continua –. Um exemplo? A região de artigos de couro na Toscana, onde as grandes marcas também estão localizadas”. Uma parcela de pequenas e médias empresas que agora enfrentam as dificuldades da pandemia. Mas a região de Arzignano (Vicenza) tem conseguido se equipar com as ferramentas para a formação e recrutamento de jovens: “Já nos anos 60 o instituto técnico nasceu para preparar os jovens para o trabalho na indústria curtidora – conclui. Nos últimos anos foi adicionado o curso de pós-graduação para o Green Leather Manager”.

A Região

“Em Arzignano existem grandes empresas, pequenas empresas, subcontratados e também empresas artesanais – acrescenta Boller -. É um sistema integrado onde todos precisam uns dos outros e onde todos investem em pesquisa, inovação e sustentabilidade.” Em 2020, o distrito sofreu o golpe do coronavírus: “Mas estamos nos livrando – tranquiliza Boller -. Nesse período, foi observada a importância da questão do crédito. Mantemos nossos compromissos com nossos fornecedores.”

Fonte: La Conceria